Toró – 1º Festival Audiovisual Universitário de Belém

10940613_1923502874540777_8789217935654538998_nO Toró – 1º Festival Audiovisual Universitário de Belém é voltado para a produção audiovisual de estudantes universitários e alunos de escolas de cinema e audiovisual. Tem como objetivo a difusão de obras audiovisuais realizadas no meio acadêmico do país, permitindo acompanhar o que vem sendo produzido atualmente. O festival abrangerá diversas categorias – documentário, ficção, experimental, animação, videoclipe, videodança e webfilme – a fim de contemplar a diversidade de formatos presentes na produção audiovisual contemporânea, em permanente processo de expansão.

O 1º Toró acontecerá de 24 a 29 de novembro de 2015, no Centro Cultural Sesc Boulevard, e contará com mostra competitiva, mostrasparalelas, oficinas e workshops na área de cinema e audiovisual. Ocorrerão, também, mostras itinerantes através de parcerias com coletivos existentes nos diversos bairros da cidade de Belém, em que serão exibidos os filmes realizados pelo NUPA, filmes premiados em outros festivais universitários, e os filmes vencedores do festival.

O festival é uma realização do Núcleo de Produção Audiovisual – NUPA, projeto de extensão criado em 2011, no âmbito do Curso de Cinema e Audiovisual, da Universidade Federal do Pará, em parceria com o Sesc Boulevard. Nesta nova etapa, o projeto se concentra na fase de difusão das obras audiovisuais, através da realização da primeira edição do Toró, que exibirá uma parcela produções audiovisuais representativas do que vem sendo realizado pelos estudantes universitários do país.

12246961_1939539292937135_4641646937605291073_nPROGRAMAÇÃO

TERÇA-FEIRA (24/11/2015)

18h – ABERTURA DO FESTIVAL

19h – SESSÃO DE FICÇÃO
– Tejo Mar (2013) de Bernard Lessa / Ficção / 21′ / Rio de Janeiro-RJ / UFF
– Paixão Nacional (2015) de Jandir Santin / Ficção / 17’17’’ / Curitiba-PR / FAP-UNESPAR
– Entre Nós (2015) de Maciel Fischer / Ficção / 15’41” / Pelotas-RS / UFPEL
– MIMIMI (2015) de José Maria Pinheiro de Souza Neto / Ficção / 07’27” / Belém-PA / UNAMA
– Uma bolha no pé esquerdo de Nina (2015) de Rodrigo Faustini / Ficção / 20′ / Campinas-SP / UNICAMP

QUARTA-FEIRA (25/11/2015)

15h – SESSÃO DE VIDEOCLIPE E ANIMAÇÃO
VIDEOCLIPE
– Maraú – Ter Mar (2015) de Gabriella Barros / Videoclipe / 3’35” / Belém-PA / UNAMA
– Reaching for the moon (2015) de Laís Rupf / Videoclipe / 2’27” / Belém-PA / UFPA
– Eu Quero Cerveja (2014) de Woltaire Masaki / Videoclipe / 4’47” / Belém-PA / UFPA
– Oswald Canibal – Henry Burnett (2014) de Rodolfo Pereira / Videoclipe / 5’16” / Belém-PA / UFPA
– Redenção – Álibi de Orfeu (2014) de Yasmin Pires / Videoclipe / 5’10” / Belém-PA / UFPA
– Born to Be – What I Feel (2015) de José Maria Neto / Videoclipe / 03’50” / Belém-PA / UNAMA
– Fuja de si (2015) de Ediago Quincó / Videoclipe / 03’24” / BELEM-PA / UNAMA

ANIMAÇÃO:
– Mulher do Táxi (2015) de Angela Carolina Matos Rodrigues; Erick Stephan Freitas da Silva; Watson de Sousa Costa Junior / Animação / 04’35” / Belém-PA / FAPEN
– Nosferatu Stop Motion (2015) de Victória Costa e Yasmin Pires / Animação / 03’01” / Belém-PA / UFPA
– ME? (2015) de Rafael Dayon / Animação / 01’14” / Caruaru-PE / UFPE
– Metamorfose (2014) de Ana Cláudia Miranda, Jéssyca Cordeiro, Juraci Macino, Lorena Campos, Marina Santos, Shirley Vanzeler / Animação / 01’24” / Belém-Pa / UEPA
– O Diário de uma terra chamuscada (2015) de Vinícius Angelus / Animação / 3’48” / João Pessoa-PB / UFPB
– Home sweet Home (2014) de Caled Garcês / Animação / 01’25” / Belém-PA/ UFPA

16h – SESSÃO DE WEBFILME E VIDEODANÇA
WEBFILME:
– Plácido (2014) de José Maria Pinheiro de Souza Neto / Webfilme / 2’57” / Belém-PA / UNAMA
– 2101 (2015) de José Maria Pinheiro de Souza Neto /Webfilme / 4’29” / Belém-PA / UNAMA
– Bula (2015) de Robson Reginato / Webfilme / 8′ / Curitiba-PR / Colégio Estadual do Paraná

VIDEODANÇA:
– A Que Chamamos Aurora (2014) de Gabriela Burck / Videodança / 05’36” / Porto Alegre-RS / UNISINOS
– Rebuçado (2015) de Felipe Cortez e Danilo Bracchi / Videodança / 07’50” / Belém-PA / IESAM/Estácio

17h – SESSÃO DE DOCUMENTÁRIO
– De que lado me olhas (2014) de Carolina de Azevedo e Elena Sassi / Documentário / 15′ / Porto Alegre-RS / UNISINOS
– Habita-me se em ti transito (2014) de Claudia Rangel / Documentário / 22′ / Juiz de Fora-MG / UFJF
– Invisível (2015) de Diego de Jesus / Documentário / 23′ / Caricica-ES / UFES
– Tocando Meu Destino (2015) de Dandi Queiroz; Juka Morgado / Documentário / 14’57” / São Vicente-SP / Centro Universitário Monte Serrat – UNIMONTE
19h – SESSAO DE FICÇAO
– Outono Celeste (2015) de Iuri Minfroy / Ficção / 11’25” / Pelotas-RS / UFPEL
– Nua por Dentro do Couro (2014) de Lucas Sá / Ficção / 21′ / São Luís-MA e Pelotas-RS / UFPEL – Universidade Federal de Pelotas
– Guia Prático Para Escolher O Sofá Dos Seus Sonhos (2014) de Marcelo Engster / Ficção / 14′ / Rio de Janeiro-RJ / Escola de Cinema Darcy Ribeiro
– DOIS LADOS (2015) de Cesar Bournier / Ficção / 28’14” / Rio De Janeiro-RJ / Escola De Cinema Darcy Ribeiro

QUINTA-FEIRA (26/11/2015)

15h – SESSÃO EXPERIMENTAL
– Teia Engole Aranha (2015) de Camila Albrecht e Takeo Ito / Experimental / 20′ / Pelotas-RS / UFPEL
– Quarteirão (2015) de Bethânia Salgado / Experimental / 5’09” / Belém-PA / UFPA
– CORÇO (2015) de Rafael Vascon / Experimental / 07′ / Recife-PE / UFPE
– As Paredes Invisíveis (2015) de Rodrigo Hubert Leme / Experimental / 8’42” / Niterói-RJ / UFF
– A Bicicleta de Kant (2015) de L. H. Girarde / Experimental / 08′ / Vitória da Conquista-BA / UESB
– Parassonia (2014) de João Marciano Neto / Experimental / 05:’55” / São Félix-BA / UFRB
– Homorragia (2015) de Lorena Arouche / Experimental / 7′ / Recife-PE / UFPE
– Maria das Aguas (2015) de Bruno Vinelli / Experimental / 6′ / João Pessoa-PB / UFPB
– Tá em casa (2015) de Raphael Duque e Dime França / Experimental / 7’10” / Belém-PA / UFPA
– Sentimentalidade Trivial (2015) de Coletivo 2Lados / Experimental / 02’58” / Belém-PA / UNAMA
– Baixo-ventre (2015) de Bárbara Pastana e Luisa Brasil / Experimental / 03’22” / Belém-PA / Estácio Belém

17h – SESSÃO DE DOCUMENTÁRIO
– Madrepérola (2014) de Deise Hauenstein / Documentário / 14’55” / São Leopoldo-RS / UNISINOS
– Sobre Rodas (2015) de Beatriz Santos; Walteer Henri / Documentário / 15′ / São Vicente-SP / Centro Universitário Monte Serrat – UNIMONTE, Santos (SP)
– A Lama e o Sal – conhecimento e conflito na RESEX Mocapajuba (2015) de Halden Monteiro, Líria do Vale e Marcelo Tavares / Documentário / 18’28” / Belém-PA / UFPA
– Transformações (2015) de Paulo Corrêa / Documentário / 08’17” / São Vicente-SP / Centro Universitário Monte Serrat – UNIMONTE, em Santos
– Sob os Pés (2015) de Juliana Segóvia e Neriely Dantas / Documentário / 20′ / Cuiabá-MT / UFMT

SEXTA-FEIRA (27/11/2015)


17h – SESSÃO DE DOCUMENTÁRIO
– Sêo Inácio (ou O cinema do imaginário) (2014) de Helio Ronyvon / Documentário / 13’29” / Natal-RN / UFRN
– O Muro é o Meio (2014) de Eudaldo Monção Jr. / Documentário / 15’15” / Aracaju-SE / UFS
– O dia que ele decidiu sair (2015) de Thamires Vieira / Documentário / 17′ / Salvador-BA / UFRB
– DALVA (2015) de Joel Schoenrock / Documentário / 17′ / Curitiba-PR / Unespar campus II FAP
– Todos os Sentidos (2015) de Fabrício Alves / Documentário / 19’11” / Fortaleza-CE / UFC

19h – SESSÃO DE FICÇÃO
– Fio-terra (2015) de Ian Capillé / Ficção / 19′ / Rio de Janeiro-RJ / UFF
– O Porão (2014) de Lucas Furtado / Ficção / 15′ / Porto Alegre-RS / UNISINOS
– Resumen (2015) de Mauricio Ferreira / Ficção / 10′ / Foz do Iguaçu-PR / UNILA
– Elegia (2015) de Mariana Costa / Ficção / 13′ / Juiz de Fora-MG / UFJF
– Muriel (2015) de Vanessa Cavalcante / Ficção / 18′ / Fortaleza-CE / UFC

SÁBADO (28/11/2015)
19h PREMIAÇÃO DAS CATEGORIAS COMPETITIVAS E MENÇAO HONROSA

DOMINGO (29/11/2015)
10h – MOSTRA DOS FILMES PREMIADOS DE CADA CATEGORIA

SERVIÇO:
TORÓ – 1° FESTIVAL AUDIOVISUAL UNIVERSITÁRIO DE BELÉM
Data: 24 a 29 de Novembro de 2015
Local: Sesc Boulevard (Avenida Boulevard Castilho França, 522/523 – em frente a Estação das Docas)
ENTRADA FRANCA

Fonte: http://nupaufpa.wix.com/festivaltoro

Sobre o 4º Festival Universitário de Criação Audiovisual – FUSCA

Os festivais universitários de audiovisual mostram a sua força em Belém com mais uma edição muito concorrida e bem realizada do FUSCA, o Festival Universitário de Criação Audiovisual, promovido pela Estácio-FAP. Interessante ver que tanto o OSGA, da UNAMA com 10 edições realizadas, e o FUSCA, da Estácio-FAP em sua 4ª edição, são frutos dos cursos de comunicação das faculdades particulares, onde o audiovisual não passa de algumas disciplinas no currículo de seus cursos. Tanto o OSGA (réptil urbano, fazendo uma brincadeira com o “Oscar”)  quanto o FUSCA (nossa querido carro popular que serve de logo pro festival) carregam no nome e na forma um humor e uma despretensão que cria uma imagem simpática junto ao público, produtores e realizadores, e os faz crescer a cada edição.

Lotando o Centro de convenções Benedito Nunes na UFPA, com mais de 900 lugares, esta edição 31 vídeos inscritos e todos foram exibidos, uma boa força para os realizadores e decisão bastante acertada da comissão organizadora. A dinâmica de  competição dos festivais de cinema estimula a participação e a qualidade das obras inscritas porém não se deve deixar de lado o caráter de fomento à produção dando oportunidade dos filmes serão exibidos e comentados pelo público.

Os filmes participantes desta edição foram:

DOCUMENTÁRIO: Caminhos da solidariedadeNa ponta da lataCaminheiros da fé e Ar de Junho.

ANIMAÇÃO:Cidade dos guarda-chuvas

V’IDEO PUBLICITÁRIO: Virus festivalMônaco motocenterHambúrguer de maniçobaViolência contra mulherLibertinos sexy shop.

VÍDEOCLIPE: Eu estou apaixonadaA corda, Cd’s e livrosOs caras velhosBrand new day.

VÍDEO MINUTO: IntensamenteTempos de bolaVermelhoMr. ballonBatalha do sachêLixos eletrônicosTriunfo dos mortos vivos em gameAmeaça de morteA garota do quinto andar e Maiêutica.

CURTA DE FICÇÃO: Presságio, ” Pietra, um segundo ‘‘, HungryEncantada do bregaOujia – O jogoAurora Pináculo do desespero.

Os vencedores foram escolhidos por comissão julgadora convocada por esta edição, muito competente por sinal, e foi composta por Lorenna Montenegro (jornalista e crítica de cinema), Brunno Régis (realizador), Andrei Miralha (realizador) e Enderson Oliveira (jornailista e produtor), foram os seguintes:

Melhor Curta de ficção (júri técnico): Encantada do brega

Escolha do público (voto popular): Encantada do brega

Melhor Roteiro: Encantada do brega

Melhor Produção: Encantada do brega

Melhor cartaz: Encantada do brega

Melhor Documentário: Caminheiros de fé

Melhor Vídeoclipe: Brand New Day

Melhor Vídeo Publicitário: Vírus festival

Melhor Animação: Cidade dos guarda chuvas

Melhor Vídeo-minuto: Tempos de bola

Melhor edição: Tempos de bola

Melhor Diretor: Tempos de bola

Melhor Atuação: Paulo Colucci

10731020_1587865188109446_4753750730196481046_n

O destaque dessa edição foi mesmo o filme Encantada do Brega estrelado por Samara Castro, que tem um canal de vídeos muito popular no YouTube, e que fez uma grande campanha de expectativa em suas redes sociais e conquistou público e jurados. O filme foi produzido pela Platô Produções, também responsável pelo recente fenômeno pop periférico de Belém, Gina Lobrista, e contou com uma série de teasers e making offs, com uma fanpage com mais de 5 mil curtidas, alcance que nem os filmes mais conhecidos da nossa cinematografia atingiram junto ao público.

O FUSCA e a Encantada do brega deixam uma grande lição aos nossos produtores de festivais e cineastas, não se levem tão à sério.

Fonte: FUSCA e DOL

Amazônia Doc.3 – Festival Pan-Amazônico de Cinema

Sustentar copas fartas, levar a seiva, alimentar folhas, flores e frutos, dar vida. O caule, em sua complexidade, é que mantém de pé a árvore.

Depois de envolver quase oito mil pessoas entre exibições e atividades de formação em 2010, o Amazônia Doc – Festival Pan-Amazônico de Cinema chega à sua terceira edição, apostando na Pan-Amazônia como território de permanente arborescência da produção audiovisual.

Diversidade que se traduz em solo fértil, rico. O Amazônia Doc se estabelece como um evento único no Brasil com foco na produção do cinema documentário na Pan-Amazônia, importante espaço de difusão e reflexão do cinema produzido no Brasil, Venezuela, Peru, Equador, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa e Suriname.

Sem abrir mão da diversidade de formatos e com um leque extenso de seminários e mostras, o Amazônia Doc traz sete dias de programação inteiramente gratuita, voltada a todos os públicos. Será uma semana de Mostras Competitivas, Mostras Paralelas, Conferências, Debates e Oficinas.

O festival contempla a exibição e premiação dos gêneros documentário e ficção produzidos nas diversas Amazônias, aprofundando as questões sociopolíticas e de fomento relativas ao audiovisual.

Na Mostra Competitiva, os melhores filmes de curta, média e longa-metragens nacionais e internacionais disputarão os prêmios de Melhor Longa e Melhor Curta Documentário e Melhor Longa e Melhor Curta de Ficção, Melhor Direção, Melhor Roteiro e Melhor Filme, eleito pelo voto popular.

Paralelamente, acontece a Mostra Pan-Amazônica de Cinema e o 3º Seminário Pan-Amazônico de Documentários, organizados com a colaboração da documentarista Cláudia Mesquita. Serão exibidos curtas, médias e longas-metragens do gênero documentário e ficção, nacionais e internacionais. A programação prevê duas oficinas gratuitas de cinema para os participantes do festival: Roteiro e Direção para documentários.

Em uma região onde as condições geográficas e sociais dificultam sobremaneira o acesso da população às produções audiovisuais, o Amazônia Doc – Festival Pan- Amazônico de Cinema vem instigar a reflexão e o debate sobre fomento, difusão e produção audiovisual em um grande intercâmbio cultural realizado pelo Instituto Culta da Amazônia e produzido pela ZProduções Cinematográficas, com o patrocínio da Oi por meio Governo do Estado do Pará através da Lei Semear e apoio cultural da Oi Futuro e da Ecleteca Cultural.

Equipe

Direção Geral / Produção Executiva:
Zienhe Castro

Organização: 
Felipe Pamplona – Coordenador de Programação
Marco Moreira – Coordenador Comitê de Pré-seleção
Moana Mendes – Coordenadora de Produção
Danielle Filgueiras – Produtora
Adriana Simões – Assistente de Produção
Flávia Souza – Assistente de Produção
Wendell Aguiar – Assistente de Produção
Amanda Aguiar – Coordenadora de Comunicação
Cíntia Magno – Assessora de Imprensa
Leonardo Fernandes – Assessor de Imprensa
Lorenna Montenegro – Assessora de Imprensa
Daniela Vianna – Tradutora
Rennan Rosa – Coordenador Gráfico
Josi Mendes – Designer Gráfico
Ronaldo Guedes – Designer de Troféu
Gotazkaen – Identidade Visual
Nicole Marinho – Assessora de Website

Comitê de Pré-Seleção: 
Marco Moreira – Presidente
Arnaldo Prado Jr.
Dedé Mesquita
Felipe Pamplona
Luzia Miranda Alvarez
Pedro Veriano
Zienhe Castro

 

Programação

SÁBADO, 5/11

Sessão de abertura
Cine Olympia – 19h30

Um Outro Ensaio
(Natara Ney, Brasil, 2010, Ficção, 15′)

Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios
(Beto Brant, Renato Ciasca, Brasil, 2011, Ficção, 100′)

DOMINGO, 6/11

Sessão Especial
Cine Olympia – 17h

Uma Longa Viagem
(Lúcia Murat, Brasil, 2011, Ficção, 97′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Cine Câmelo (Clarissa Knoll, Brasil, 2011, Doc, 15′)
Kinopoéticas – Katari Kamina (Pedro Dantas, 2011, Doc, 15′)
Crônicas de uma Morte Anunciada (Ivan Canabrava, Brasil, 2011, Doc, 06′)
A Dança do Tempo (Christian Spencer, Brasil, 2011, Doc, 23′)

Longa:
Morada (Joana Oliveira, Brasil, 2010, Doc, 78′)

SEGUNDA, 7/11

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Ribeirinhos do Asfalto (Jorane Castro, 2011, Ficção, 25′)
Soldados da Borracha (Cesar Lima, Brasil, 2010, Doc, 27′)

Longa:
Terra da Lua Partida (Marcos Negrão, Brasil, 2010, Doc, 52′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

Chico Mendes – eu quero viver (40′, 1989)
Montanhas de Ouro (52′, 1990)

TERÇA, 8/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos ( Camilo Cavalcante, Brasil, 2010, Doc, 12′)
Crônica del Racismo (Verónica Córdova, Bolívia, 2009, Doc, 35′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Na Canoa para Aprender (Bruno Assis e Dani Franco, Brasil, doc, 5′)
O mundo de Célia (Bruno Assis, Ronaldo Rosa e Sissa Aneleh, Brasil, doc, 6′)
Toda Qualidade de Bicho (Angela Gomes e Cézar Moraes, Brasil, doc, 10′)
Barcos de Odivela (Angela Gomes e Cézar Moraes, Brasil, doc, 14′)
Sem Fastio (Roger Elarrat e Juliana Machado, Brasil, doc, 40′)
À Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas (Damiá Puig, Brasil, doc, 90′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Oysuaminasai (Leandro Tadashi, Brasil, 2011, Ficção, 6′)

Longa:
De Ollas y Sueños (Ernesto Cabellos, Peru/Brasil, 2009, Doc, 74′)

http://www.dailymotion.com/embed/video/xa7p8g
De ollas y sueños – cooking up dreams – documental por la_shivi

Para Vestir Santos (Rosana Matecki, Venezuela, 2011, Doc, 52′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau (52′, 1990)
Nas Cinzas da Floresta (52′, 1990)

QUARTA, 09/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Da Janela do Meu Quarto ( Cao Guimarães, Brasil, 2004, Ficção, 5′)
Babás ( Consuelo Lins, Brasil, 2009, Doc, 110′)
A Falta que me Faz (Marília Rocha, Brasil, 2009, Doc, 85′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Gente que Brilha (Ivan Oliveira e Edinan Costa, Brasil, doc, 40′)
Carnasat (Wirley Silva, Brasil, doc, 25′)
Amor Veneris ou Um Colar de Brilhantes para Uma Pobre Donzela (Isabela do Lago, Vanessa Hassegawa e Arthur Leandro, Brasil, ficção, 3′)
Curtas do I Salão Xumucuís de Arte Digital (Coletivo, Brasil, doc, 3′)
Táxi Zero Hora (Silvio Sá, Brasil, ficção)
Apeú – Em canto, em conto (Ronildo Carvalho, Brasil, doc)
Os Comparsas (Marcio Barradas, Brasil, ficção)
Kronos (Rodolfo Mendonça, Brasil, ficção, 2′)
Xandu (Renata do Rosário Lira e Arthur Leandro, Brasil, doc, 10′)
Verônica Não Deita (Coletivo, Brasil, ficção, 7′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Saltos Amazônicos (Liana Amin, Igor Amin, Brasil, 2011, Doc, 8′)
A Fábrica (Aly Muritiba, Brasil, 2011,Ficção, 15′)
7 Voltas (Rogério Nunes, Brasil, 2009, Doc, 20′)
Matinta (Fernando Segtowick, Brasil, 2010, Ficção, 20′)

Longa:
Leite e Ferro (Claudia Priscilla, Brasil, 2010, Doc, 72′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

O Destino dos Uru Eu Wau Wau (52′, 1999)

QUINTA, 10/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Juku (Mauricio Quiroga, Bolívia/Argentina, 2011, Doc, 18′)
Nochebuena (Camila Loboguerrero, Colômbia, 2008, ficção, 84′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Mostra Cabocão – 2h
60 curtas de 1′ e 30 curtas de 4′, entre documentários e ficções, resultantes de oficinas de audiovisual realizadas no estado do Amazonas.
Organização: Júnior Rodrigues

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Sucumbios, Terra sem Mal (Arturo Hortas, Espanha, 2011, Doc, 30′)
Longa:
Sem ti Contigo (Tuki Jencquel, Venezuela, 2010, Doc, 43′)
Trópico da Saudade (Marcelo Flores, Brasil, 2009, Doc, 72′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

A Tribo que se esconde do homem (66′, 1967-69)
Uma Dádiva para a Floresta (25′, 2000)

SEXTA, 11/11

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
17h

As Queimadas da Amazônia (45′, 2002)
Barrados e Condenados (25′, 2000)
Batida na Floresta (59′, 2004-5)
O Sonho do Chico (25′,2003)

Sessão de encerramento
Cine Olympia
19h

Qual Queijo Você Quer?
(Cíntia Domit Bittar, Brasil, 2011, Ficção, 11’15”)

As Hiper Mulheres
(Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro, Brasil, 2011, Doc, 80′)

Atividades Paralelas
Oficinas

Cinema Fora do Eixo – Como fazer?
Instrutor: Cíntia Domit Bittar
Local: Colégio Ideal
Período: 07 a 11/11
Horário: 9h às 13h

Dispositivos Móveis na Era do Cinema Digital
Instrutor: Gilberto Mendonça
Local: Colégio Ideal
Período: 07 a 11/11
Horário: 9h às 13h

Workshop

Psicanálise e Cinema
Instrutor: Manoel Leite
Local: Colégio Ideal
Período: 16 a 19/11
Horário: 19h às 22h

Seminário

Um Cinema Feminino?
Mais do que exibição de filmes, o Amazônia Doc. inclui em sua programação atividades práticas e reflexivas, contribuindo para a democratização do acesso às técnicas de diferentes áreas do cinema e também estimulando o debate e a formação crítica. Neste bojo, estão oficinas, sessões comentadas e ações educativas, além do seminário “A Mulher e o Cinema”. Sob a direção da cineasta Zienhe Castro, fundadora do Amazônia Doc, e coordenação da pesquisadora e documentarista Claudia Mesquita, o seminário trará a Belém realizadoras de vários países da Pan-Amazônia, com a intenção de discutir a evidente maior presença de cineastas mulheres na contemporaneidade e as novas abordagens e temáticas decorrentes deste cenário.

A programação será realizada em abril. Serão quatro dias de encontros no Cinema Olympia, como parte das comemorações pelo seu centenário.

Oficinas

Oficina Dispositivos móveis na era do cinema digital
Período: 7 a 11/11 (9 às 12h)

Ministrante: Gilberto Mendonça (PA)
Local: Colégio Ideal

Através de uma discussão teórica e prática, a oficina propõe fazer reflexões acerca dos processos e possibilidades estéticas e poéticas do uso de dispositivos móveis de produção audiovisual. Mergulhando nos princípios da linguagem cinematográfica a oficina terá discussões também sobre os meios de produção através de câmeras digitais e celulares e as novas transformações tecnológicas e culturais ocorridas com o surgimento do cinema digital. O curso é voltado para pessoas com mais de 13 anos, com ou sem experiência.

Minibiografia:
Produtor independente, Gilberto Mendonça é Sociólogo, Arte Educador e realizador desde 2005. Colaborador do Programa de Pesquisa e Extensão Universitária: “Entre Memórias – A Constituição Cotidiana da Mitopoética em Colares no Imaginário Infantil”, da Universidade Federal do Pará, Desenvolvendo trabalhos de pesquisa audiovisual e etnográfica relacionados à memória e narrativas orais na Amazônia. Participou e dirigiu diversos curtas e atualmente ministra oficinas relacionadas à produção audiovisual em novos suportes tecnológicos e sua estética no cinema digital.

Vagas: 50 alunos

Oficina: Cinema fora do eixo – como fazer?
Período: 7 a 11/11 (9 às 12h)

Ministrante: Cíntia Bittar (SC)
Local: Colégio Ideal

Um recorte sobre como fazer cinema estando fora do chamado eixo cultural brasileiro, com foco nos problemas e soluções a partir do olhar do roteirista, do diretor e do produtor, configurando um estudo sobre os aspectos técnicos e criativos de um projeto.

Curso direcionado a profissionais do cinema independente e interessados na área que possuam conhecimento mínimo básico dos processos produtivos, técnicos e criativos.

Minibiografia:
Formada em Cinema e Vídeo pela UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina), Cíntia entrou para o mercado audiovisual como montadora, reunindo em sua filmografia diversos gêneros e formatos. Em Florianópolis, abriu a produtora Novelo Filmes (2010), que estreia no mercado com o curta Qual Queijo Você Quer? Seu primeiro trabalho profissional enquanto diretora e roteirista, que hoje percorre os principais festivais do país.

Vagas: 50 alunos

Workshop Psicanálise e Cinema
Período: 16 a 19/11 (19 as 22 h)

Ministrante: Manoel Leite (PA)
Local: Colégio Ideal

O Cinema e a Psicanálise tiveram seu nascimento praticamente ao mesmo tempo. Em 1895, enquanto os irmãos Auguste e Louis Lumière faziam a primeira projeção cinematográfica da história, Freud dedicava-se a seus primeiros escritos psicanalíticos. Desde então, Cinema e Psicanálise seguiram seu caminhos com conceitos e experiências muito próximos, e mostrar essa relação é um dos focos do curso.

Num primeiro momento, serão apresentados alguns conceitos da psicanálise que mais se relacionam com o Cinema, como a teoria dos sonhos, os conceitos de inconsciente e de fantasia, que serão apresentados articulados com as teorias de cinema. Posteriormente, sempre através de trechos de filmes, serão articuladas as experiências da Psicanálise com as do realizador. Em seguida, será abordada a obra cinematográfica em si e a riqueza do seu conteúdo, evitando o equívoco de pretender interpretar o filme para revelar sua “verdadeira essência”, mas utilizando das “ferramentas” da psicanálise para produzir novos recortes e novas interpretações, enriquecendo com isso a leitura do filme e a experiência de assistí-lo.

Minibiografia:
Formado em Engenharia Aeronáutica pelo ITA em 1988, enveredou pela Psicanálise logo a seguir, ao mesmo tempo que fazia cursos de Cinema e Filosofia na PUC-RJ. Tornou-se membro da Escola Lacaniana de Psicanálise, onde coordenou grupo de pesquisa em Psicanálise e Cinema. Clinica desde 1996, inicialmente no Rio de Janeiro e posteriormente em Belém. Atualmente é membro das Formações Clínicas do Campo Lacaniano (RJ) e Mestre em Psicanálise pela UERJ.

Vagas: 50 alunos

BAIXE AQUI A FICHA DE INSCRIÇÃO

 

 

 

 

 

 

 

5º Festival de Belém do Cinema Brasileiro

MELHOR CURTA-METRAGEM: “Animadores”, de Allan Sieber


MELHOR MÉDIA-METRAGEM: “Raiz dos Males”, de Heraldo Moraes e Homero Flávio


MELHOR LONGA-METRAGEM: “Patativa do Assaré”, de Rosemberg Cariry

VI Mostra Curta Pará Cine Brasil

VI MOSTRA CURTA PARÁ CINE BRASIL
21 a 25 de outubro de 2009.
Cinema Olympia
Belém -Pará

Os premiados da VI MOSTRA CURTA PARÁ CINE BRASIL foram:

Júri Popular

Prêmio Banco da Amazônia de Melhor Curta Metragem Brasileiro

1º Lugar – Reverso

Direção: Francisco Colombo

Estado: Maranhão

Premiação: R$1.000,00 + Troféu


2º Lugar – Pelo Ouvido

Direção: Joaquim Haickel

Estado: Maranhão

Premiação: Troféu


Júri Oficial

Prêmio Associação dos Críticos de Cinema do Pará – ACCPA

1º Lugar – Muro

Direção: Tião

Estado: Pernambuco

Premiação: Troféu


Menção Honrosa

Cães

Direção: Adler Paz e Moacyr Gramacho

Estado: Bahia


Realização: Central de Produção – Cinema e Vídeo na Amazônia
Avenida Magalhães Barata, n° 695 / sala 205 – ed. Tropical Center
Tel / fax: (91) 3343.3567 – Belém – PA
email: contato@centralcinevideo.com

Fonte: site da Central de Produção

Os premiados da VI MOSTRA CURTA PARÁ CINE BRASIL foram:

Júri Popular

Prêmio Banco da Amazônia de Melhor Curta Metragem Brasileiro

1º Lugar – Reverso

Direção: Francisco Colombo

Estado: Maranhão

Premiação: R$1.000,00 + Troféu

2º Lugar – Pelo Ouvido

Direção: Joaquim Haickel

Estado: Maranhão

Premiação: Troféu

Júri Oficial

Prêmio Associação dos Críticos de Cinema do Pará – ACCPA

1º Lugar – Muro

Direção: Tião

Estado: Pernambuco

Premiação: Troféu

Menção Honrosa

Cães

Direção: Adler Paz e Moacyr Gramacho

Estado: Bahia

AMAZÔNIA DOC

I AMAZONIA DOC – Festival Pan-Amazônico de Documentários

” Desde o início da década de 90 passei a aprofundar as minhas pesquisas sobre cinema. Nesse processo fui completamente tomada pelos filmes de não-ficção, viraram a minha grande paixão e objeto de estudo! O interesse em ampliar meu conhecimento acerca de documentaristas, críticos, e teóricos sobre o gênero, conduziram-me de maneira inevitável a freqüentar Festivais de Cinema Documentário no Rio de Janeiro e São Paulo, pois essa era a única forma de ter acesso as realizações produzidas e aos seus realizadores no Brasil e fora daqui. Começava um “boom” na produção de documentários em todas as partes do mundo.

De lá para cá, passaram-se muitos anos! Foram anos de viagens inesquecíveis pelo Brasil e pelo mundo, através dos filmes de não ficção que pude ter acesso e dos debates que pude participar. Muitos dos filmes que assisti provocaram inúmeras reflexões e reações na minha vida pessoal e profissional, fazendo-me repensar e reorganizar minhas idéias e as minhas escolhas. Percorri muitos países e culturas, conduzida pelos diversos olhares e abordagens suscitadas pelos autores das obras. Foi e ainda tem sido inquietante e transformador! Passei a cultivar o interesse em dividir essa experiência coletivamente, viabilizar a exibição dessas produções e o debate com seus realizadores para a região norte, que via de regra não tem fácil acesso a esses filmes e muito menos aos seus autores.

Motivada por esse sentimento, em 2007, nasceu a idéia de realizar um Festival de Documentários que oportunizasse o intercâmbio entre os países que integram esse imenso território Amazônico, promovendo o acesso do nosso povo, da nossa região a essas produções e que sobretudo permitisse iniciar o debate e a reflexão em torno das problemáticas e potencialidades da Amazônia, por meio da linguagem audiovisual e do gênero documentário, pelos amazônidas e para os amazônidas.

Depois de dois anos de gestação, nasce, o I AMAZONIA DOC – Festival Pan-Amazônico de Documentários, com o objetivo principal de apresentar uma grande mostra do cinema documental da macro-região que estende sua floresta por parte de oito países que formam a Pan-Amazônia: Brasil, Venezuela, Equador, Peru, Bolívia Colômbia, Guiana Francesa, e Suriname. Esta imensa região é detentora de uma das maiores riquezas hídricas, biológicas e minerais do planeta e de uma inigualável diversidade sociocultural. São diversas amazônias.

Para aprofundar e enriquecer o conteúdo dos debates propostos inicialmente convidamos os mais reconhecidos realizadores e teóricos sobre o gênero, entre eles, posso citar a imprescindível colaboração do documentarista Victor Lopes na curadoria do Seminário e a consultoria do Professor José Carlos Avelar, exímio conhecedor do Cinema latino-americano, ambos com a missão de propor à partir do conceito esboçado pelo projeto do I AMAZÔNIA DOC, os convidados brasileiros, as conferências, palestras e debates sobre as questões suscitadas no escopo do I SEMINÁRIO PAN-AMAZÔNICO DE DOCUMENTÁRIOS e da MOSTRA PAN-AMAZÔNICA DE DOCUMENTÁRIOS. Ainda contamos com a preciosa assessoria internacional de Tito Almeijeiras, coordenador do Fórum do Documentário Latino-americano no CINESUL, para comandar a área internacional do Amazônia DOC na produção dos convidados e filmes internacionais.

A hora do festival finalmente chegou! E tudo isso só foi possível pelo engajamento reiterado de nossos patrocinadores, mesmo neste ano de dificuldades atípicas, e sobretudo pela confiança firmada dos colaboradores, curadores, consultores, produtores e realizadores que acreditaram no I AMAZÔNIA DOC como janela para suas obras. Nossa gratidão é infinita.

Desejo a todos, em nome da incomparável equipe do festival, uma viagem inesquecível pelo melhor do documentário pan-amazônico.

Bom festival a todos!”

Zienhe Castro
Diretora Geral
Produtora Executiva do I Amazônia Doc

VENCEDORES

Prêmio AMAZÔNIA – Augusto Ruschi* (maior destaque entre as obras)
 
Mataram Irmã Dorothy, de Daniel Junge (BRA), 2008
 

Prêmio AMAZÔNIA Ouro – Melhor LONGA

Mataram Irmã Dorothy, de Daniel Junge (BRA), 2008

Prêmio AMAZÔNIA Prata – Melhor MÉDIA

“Balsa Boieira” e “Seu Dico. Paraense Velho Macho”, de Chico Carneiro

Prêmio AMAZÔNIA Bronze – Melhor CURTA

A Casa dos Mortos, de Débora Diniz, 2008

Prêmio AMAZÔNIA – Melhor Filme Etnográfico

Verde Terra Prometida: Laços Amazônia e Nordeste, de Claudia Kahwage (PA)

Prêmio Amazônia Especial – melhor FILME escolhido por júri popular

Mataram Irmã Dorothy, de Daniel Junge (BRA), 2008

Prêmio Amazônia Especial – Técnico local
 
Diógenes Leal