cineclube etdufpa

MOSTRA MARCIO BARRADAS: UMA DÉCADA DE CINEMA INDEPENDENTE

Mostra Barradas OK

No dia 29 de setembro deste mês, no Teatro Cláudio Barradas, acontecerá a “Mostra Márcio Barradas: uma década de cinema independente”, que apresentará parte significativa da trajetória do cineasta. É a oportunidade de desmistificar a ideia de que não se produz cinema por estas bandas e aprender um pouco como a Mairí Produções realizou 9 sonhos a partir de seu próprio esforço.
Tudo começou em 2005, com “Coração roxo”. Desde seu primeiro manifesto experimental, o autor nos apresenta um cinema que busca, com generosidade e firmeza, tanto a descoberta genuína da forma de cada filme a partir de seu contexto de produção (e nesse percurso, o encontro do estilo) quanto a afirmação da gravidade de se posicionar politicamente (a partir dos temas, argumentos e vozes que se escolhe registrar). Como é natural no Brasil desde Humberto Mauro, Márcio Barradas é mais um desses cineastas entre a ficção e o documentário. Em qualquer dos gêneros encontra o outro: na ficção traz o contexto, no documentário encara a fantasia. Da ilha do Mosqueiro – a ilha-mãe da Belém Insular – fez retratos únicos através de diferentes processos de captura e revelação. “O Mastro de São Caralho”, por exemplo, é destes “docs câmera na mão” a perambular pela manifestação, registrando o calor do momento e os grandes discursos de notáveis sátiros da margem suburbana. “A poeta da praia” já é ficção sob a luz da lua, gestada no estômago magoado de uma andarilha das praias, que será perseguida pela intolerância e pela violência, arcanos da crueldade, que também estão presentes na adaptação de Schultheiss/Bukowski em “Os comparsas”. Se cada um vai por um furo todos chegam à Mosqueiro.
“O cinema são todos os caminhos”, dizia Glauber Rocha, e se Márcio Barradas é, por excelência, a figura do cineasta insulado, inundado de água por todos os lados, a potência de sua obra se erige profunda sob estas condições. No próximo dia 29 nos é dada a oportunidade deste panorama, ouvir o eco deste cinema, que atravessa a baía trazendo seus fantasmas. Além da presença do autor, a grande surpresa da programação será a estreia de sua nova obra “Tony, o poeta de Icoaraci”, documentário intimista, recorte de poesia e política em justaposição e conflito, bem ao estilo “montagem de atrações” já caro ao autor em outras obras.


Com o objetivo de discutir as confluências entre cinema, arte e tecnologia e as artes cênicas o Projeto de extensão Cineclube ETDUFPA é coordenado pelo professor Ramiro Quaresma, com a colaboração dos professores Paulo de Tarso e Jorge Torres, e dos bolsistas Elise Vasconcelos, Mateus Moura e Cléber Cajun, em uma realização da Escola de Teatro e Dança, Teatro Universitário Cláudio Barradas, Instituto de Ciências da Arte e UFPA, com apoio da Cinemateca Paraense e Associação Paraense dos Jovens Críticos de Cinema. O evento é uma atividade de greve.

Mostra Barradas
Programação:
Curadoria : Mateus Moura

Coração roxo. 2005. 8 min.
O mastro. Doc. 23 min.
A poeta da praia. Ficção 2008. 28 min.
Os comparsas. Ficção. 2011. 16 min.
Tony, poeta de Icoaraci. Doc. 2015. 28 min.

SERVIÇO:
“Mostra Márcio Barradas: uma década de cinema independente”
Data: 29 de Setembro de 2015 Hora: 18h
Entrada franca
Local: Teatro Universitário Cláudio Barradas, localizado na Rua Jerônimo Pimentel, 546 (esquina com D. Romualdo de Seixas) no bairro Umarizal, em Belém.

HORRORSHOW no Cineclube ETDUFPA

Horror Show Cineclube imagem

A performance multimídia “HorrorShow” do artista Cléber Cajun estréia no Cineclube ETDUFPA

Livre adaptação da obra “Um artista da fome” de Franz Kafka a dramaturgia da performance aborda questões da sociedade do espetáculo e as novas relações entre o artista e o público na contemporaneidade, em um jogo com as interfaces tecnológicas obsoletas e o corpo do ator.

Cléber Cajun é ator formado pela Escola de Teatro e Dança, artista visual cursando Artes Visuais na UFPA e já encenou diversos espetáculos de todos os gêneros e busca no ousado “HorrorShow” lançar perguntas sobre o próprio fazer artístico em uma dramaturgia escrita em movimento, imagens e com a própria vida do artista, escrita e encenada conjuntamente com Luiz Girard.

Com o objetivo de discutir as confluências entre cinema, arte e tecnologia e as artes cênicas o Cineclube ETDUFPA é coordenado pelo professor Ramiro Quaresma, com a colaboração dos professores Paulo de Tarso e Jorge Torres, e dos bolsistas Elise Vasconcelos, Mateus Moura e Cléber Cajun, em uma realização da Escola de Teatro e Dança, Teatro Universitário Cláudio Barradas, Instituto de Ciências da Arte e UFPA.

Horror Show Cineclube Cartaz melhor

Serviço:
“HorrorShow”
Performance multimídia com Cléber Cajun
Direção Luiz Girard
Dramaturgia: Cléber Cajun e Luiz Girard
Luz: Jorge Torres
Produção: Mônica Gouveia

Data: 08 e 09/09/2015
Hora: 19h
Ingresso: 10$ inteira / 5$ meia / Entrada franca para alunos da ETDUFPA e da rede pública de ensino.
Local: Teatro Universitário Cláudio Barradas, localizado na Rua Jerônimo Pimentel, 546 (esquina com D. Romualdo de Seixas) no bairro Umarizal, em Belém.

Cineclube ETDUFPA_Anjos sobre Berlim

POÉTICAS AUDIOVISUAIS EM CENA

Filme da década de 1990 de Nando Lima une cinema e teatro em abordagem inovadora

01 Nando Anjos CINECLUBE

A transição da película para a fita magnética ocorrida nos anos 1980 não foi apenas uma mudança de suporte e sim de poética e estética.  A versatilidade das fitas magnéticas (VHS/Umatic) na captura de imagens em movimento, edição e incorporação de efeitos, como o Kroma Key, possibilitou uma geração de realizadores a experimentar o cinema em uma nova plataforma. Há 24 anos um grupo de teatro se reuniu para gravar um filme que seria parte integrante de uma peça de teatro, sob a direção e texto de Nando Lima, as gravações aconteceram em 1991 de forma colaborativa, com equipamentos e ilha de edição emprestados ou cedidos por curtíssimos períodos,  e uma vontade enorme de criar. A obra hoje é o mais importante documento audiovisual dos anos 1990 em Belém.

O filme “Anjos sobre Berlim” (1991, de Nando Lima) é o filme de estreia do Cineclube da Escola de Teatro e Dança que tem como objetivo discutir as relações e interseções do cinema com as artes cênicas e que tem na obra de Nando Lima um marco no audiovisual e no teatro paraense. “era uma coisa complemente independente e experimental (…) todas as coisas que a gente estava vivendo entraram, a gente queria falar disso. Um espetáculo que começava com 40 minutos de vídeo, foi pensado e montado para o Schivasappa. Era passado em cinco televisões ao mesmo tempo.”.

O professor do ICA/ ETDUFPA e coordenador do Cineclube Ramiro Quaresma diz sobre Anjos: “na equipe técnica e artística de Anjos estão nomes importantes da arte paraense como Anibal Pacha, Leo Bitar, Alberto Silva Neto e Oriana Bitar em início de carreira, e foram todos colaboradores artísticos do filme, onde o texto, a música e as atuações carregam uma carga de  memória de um período que precisa ser mais pesquisado e debatido.”. Nando Lima e outros integrantes de Anjos participaram de um debate após a exibição o filme, que tem entrada franca e acontece no Teatro Universitário Cláudio Barradas.

O Cineclube ETDUFPA é um projeto de extensão da Escola de Teatro e Dança da UFPA coordenado pelo Prof. Ramiro Quaresma com a colaboração dos Professores Paulo de Tarso e Jorge Torres. Realização da Escola de Teatro e Dança, Instituto de Ciências da Arte e UFPA.

Serviço:

Exibição do filme “Anjos sobre Berlim” de Nando Lima, 1991.

Dia 07 de Abril às 18h.

Seguido de debate com o realizador e equipe do filme.

Teatro Universitário Cláudio Barradas.

Rua Jerônimo Pimentel, 546 (esquina com D. Romualdo de Seixas) no  bairro Umarizal, em Belém.

Mais informações pelo celular (91) 98239 2476 (Prof. Ramiro Quaresma).

FICHA TÉCNICA / ANJOS sobre Berlim. Direção, Roteiro, Figurino,  Cenografia e Contra-regra: Nando Lima. Fotografia, Câmera e Edição:  Anibal Pacha. Produção: Oriana Bitar. Sonoplastia: Leo Bitar.  Maquiagem: Uirande Mendonça. Contra-regra: Ronaldo Fayal.  Operação de edição: João Freitas, Benedito Barbosa. Caracteres: Mario Cativo. Belém. Elenco: Alberto Silva, Betto Paiva, Claudio Melo, Josiane Dias, Oriana Bitar. 41 min. 1990. Filmado em VHS.