O cinema evangélico em Belém (sim ele existe!)

O jornalista Vladimir Cunha fez a descoberta que compartilhamos aqui no blog, do realizador Luiz Freitas, um pastor evangélico que roteiriza, dirige, exibe e distribui seus filmes com temática evangélica pelos cultos em Belém. Um cinema possível e marginal que merece uma atenção pela iniciativa e compreensão do audiovisual como uma cadeia mercadológica que transcende o criativo e artístico, uma compreensão fundamental pra objetiva fazer cinema. Assistem e leiam o comentário do jornalista que reproduzimos abaixo.

 

 

Hoje conheci o pastor Luiz Freitas, o primeiro (e único) cineasta gospel de Belém. Como todo bom realizador independente, ele escreve, dirige, monta e comercializa seus filmes sozinho. Só não assina como diretor, pois prefere, nos créditos, atribuir essa função a Jesus Cristo em Espírito.

Embora ele talvez não goste da associação, o método de produção e distribuição do pastor se assemelha ao do tecnobrega e ao de Antônio Snake, mais conhecido como o Buttman da Amazônia (para saber mais sobre o Snake leia a minha matéria com ele no Overmundo:http://www.overmundo.com.br/overblog/antonio-snake-o-buttman-da-amazonia )

verocurtaConversando com Luiz, ele me disse que o seu primeiro filme, Tudo É Possível ao que Crê, vem atraindo uma média de 300 espectadores nas sessões itinerantes que realiza nos cultos e igrejas da periferia de Belém. Em cada uma delas, vende entre 100 e 200 DVDs dependendo da quantidade e do poder aquisitivo do público. De uma certa maneira ele é mais bem-sucedido do que todos os cineastas e documentaristas de Belém, que ainda não conseguiram equalizar direito os seus esquemas de produção, distribuição e venda.

Eu não queria entrar no mérito do proselitismo cristão ou da qualidade do trabalho de Luiz Freitas, até porque essas são questões óbvias. Mas me interessou bastante ver que ele foi sagaz o suficiente para perceber um nicho de mercado e se inserir nele, entregando para os evangélicos belenenses filmes com a cara do povo do norte do país e que falam diretamente dos problemas de quem mora nas áreas mais pobres da capital paraense. E o que é mais legal: ser humilde o suficiente para colocar o filme debaixo do braço e ir até onde o seu público está.

Fica aí uma grande lição para os produtores e realizadores de Belém e do resto do Brasil.

 

Vladimir Cunha, jornalista paraense

UFPA 2.0


Coleção Paul Albuquerque

Formado por mais de seis rolos de filmes em Super 8 e 16 mm, o acervo audiovisual – que antes pertencia ao professor Paul Albuquerque e que hoje é de propriedade do professor Flávio Nassar – possui imagens de extrema relevância histórica para a cidade. Mais do que imagens, a coleção Paul Albuquerque retrata uma cidade e seu povo, com sua cultura, seus hábitos e costumes; uma verdadeira testemunha ocular da história de Belém.

Os registros cinematográficos deste post são um grande exemplo disso.

O vídeo foi filmado pelo professor Paul Albuquerque e retrata como eram os carnavais em Belém, na década de 50, mostrando, sobretudo, o cenário de alegria e festa que o carnaval trazia para os moradores da cidade. As imagens foram feitas durante o festejo que ocorria na Praça da República. A praça era o local onde havia o encontro dos foliões, dos Blocos…

Ver o post original 39 mais palavras

7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul – Programação Belém

04.12 | Terça-feira

20h – Sessão de Abertura
O Cadeado – Leon Sampaio (Brasil, 12 min., 2012, fic.)
A Galinha que Burlou o Sistema – Quico Meirelles (Brasil, 15 min., 2012, doc./fic.)
Menino do Cinco – Marcelo Matos de Oliveira, Wallace Nogueira (Brasil, 20 min., 2012, fic.)
A Fábrica – Aly Muritiba (Brasil, 16 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

05.12 | Quarta-feira

13h
Menino do Cinco – Marcelo Matos de Oliveira, Wallace Nogueira (Brasil, 20 min., 2012, fic.)
Maria da Penha: um Caso de Litígio Internacional – Felipe Diniz (Brasil, 13 min., 2011, doc.)
Silêncio das Inocentes – Ique Gazzola (Brasil, 52 min., 2010, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

15h
Virou o Jogo: A História de Pintadas – Marcelo Villanova (Brasil, 15 min., 2012, doc.)
Chocó – Jhonny Hendrix Hinestroza (Colômbia, 80 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 16 anos

17h
O Garoto que Mente – Marité Ugás (Venezuela, 99 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

19h
Batismo de Sangue – Helvécio Ratton (Brasil, 110 min., 2006, fic.)
Classificação indicativa: 14 anos

06.12 | Quinta-feira

13h – Sessão de Audiodescrição
Extremos – João Freire (Brasil, 24 min., 2011, doc.)
À Margem da Imagem – Evaldo Mocarzel (Brasil, 72 min., 2003, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

15h – Sessão de Audiodescrição
Santo Forte – Eduardo Coutinho (Brasil, 80 min., 1999, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

17h
A Fábrica – Aly Muritiba (Brasil, 16 min., 2011, fic.)
Hoje – Tata Amaral (Brasil, 87 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 14 anos

19h
Justiça – Andrea Ruffini (Bolívia / Itália, 34 min., 2010, doc.)
Último Chá – David Kullock (Brasil, 97 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

07.12 | Sexta-feira

13h
Estruturas Metálicas – Cristian Vidal L. (Chile, 47 min., 2011, doc.)
Saia se Puder – Mariano Luque (Argentina, 66 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

15h
Uma, Duas Semanas – Fernanda Teixeira (Brasil, 17 min., 2012, fic.)
A Demora – Rodrigo Plá (Uruguai / França / México, 84 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 10 anos

17h
Elvis & Madona – Marcelo Laffitte (Brasil, 105 min., 2010, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

19h
Com o Meu Coração em Yambo – María Fernanda Restrepo (Equador, 137 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

08.12 | Sábado

13h
Disque Quilombola – David Reeks (Brasil, 14 min., 2012, doc.)
Vestido de Laerte – Claudia Priscilla, Pedro Marques (Brasil, 13 min., 2012, fic.)
A Galinha que Burlou o Sistema – Quico Meirelles (Brasil, 15 min., 2012, doc./fic.)
O Veneno Está na Mesa – Silvio Tendler (Brasil, 50 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

15h
Porcos Raivosos – Isabel Penoni, Leonardo Sette (Brasil, 10 min., 2012, fic.)
O Cadeado – Leon Sampaio (Brasil, 12 min., 2012, fic.)
Dez Vezes Venceremos – Cristian Jure (Argentina, 75 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 16 anos

17h
Juanita – Andrea Ferraz (Brasil, 8 min., 2011, doc.)
O Dia que Durou 21 Anos – Camilo Tavares (Brasil, 77 min., 2012, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

19h
Cabra Marcado para Morrer – Eduardo Coutinho (Brasil, 119 min., 1984, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

09.12 | Domingo

13h
Olho de Boi – Diego Lisboa (Brasil, 19 min., 2011, fic.)
Funeral à Cigana – Fernando Honesko (Brasil, 15 min, 2012, fic.)
Carne, Osso – Caio Cavechini, Carlos Juliano Barros (Brasil, 65 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

15h
Cachoeira – Sérgio Andrade (Brasil, 14 min., 2010, fic.)
Classificação indicativa: 16 anos

17h
Marighella – Isa Grinspum Ferraz (Brasil, 100 min., 2012, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

19h
O Fio da Memória – Eduardo Coutinho (Brasil, 115 min., 1991, doc.)
Classificação indicativa: livre

Local

CineSESC Boulevard
Boulevard Castilho França, 522 | 523 – Campina – CEP 66010-020
(91) 3224.5305 | 5654

UFPA 2.0

Coleção Paul Albuquerque
Dos mais antigos arquitetos atuantes no Pará, formado nos EUA, onde também ministrou aulas na Escola de Arquitetura de Kansas, Paul Albuquerque participou da fundação do curso de Arquitetura da Universidade Federal do Pará e foi responsável por uma das mais importantes divulgações da arquitetura brasileira, ao contribuir com a organização, em 1943, de edição do Museu de Arte Moderna de Nova York, onde publica uma das primeiras referências sobre a obra de Antônio Landi.

Paul retornou a Belém no início dos anos 50 e foi um dos primeiros arquitetos atuantes na cidade, projetando residências e à frente de seminários que ampliaram o estudo sobre a obra de Landi. Amigo de Albuquerque, o professor Flávio Nassar, Pró-Reitor de Relações Internacionais da UFPA, recebeu do professor Paul uma caixa com rolos de filmes feitos por ele, entre as décadas de 40 e 50.
Quando finalmente conseguiu tratar o…

Ver o post original 110 mais palavras

UFPA 2.0

Coleção Ronaldo Moraes Rêgo
A coleção Ronaldo Moraes Rêgo, arquiteto, professor da UFPA, artista plástico, reúne filmes de 8mm e de Super8. É uma sucessão de experimentos visuais, uma cena de perseguição de bandido e mocinho feita na atual EMBRAPA protagonizadas por Ronaldo, Luis Braga e Janjo Proença, belas imagens de um Mosqueiro que não existe mais ou de um largo da Trindade perdido no tempo.

As tomadas do Círio foram feitas de uma sacada do edifício Manuel Pinto da Silva nos anos 1970.
A coleção conta com um curta “Segundo as Escrituras” filmado nas ruínas do Engenho Murutucu que conta com a participação de uma certa Fafá Moura Palha.

– > O arquivo integrará o acervo da Biblioteca Digital do Círio < –

Ver o post original

4º Pré CLIC “Novas possibilidades no audiovisual em Belém do Pará”

Imagem

Atualmente, com a “maior democratização” da produção e acesso a conteúdos variados, é cada vez mais possível criar e veicular suas próprias produções, em especial no ciberespaço, e através de novos e diversos suportes e meios tecnológicos. Um bom exemplo disto é a produção audiovisual, afinal os conteúdos podem ser captados, editados e circularem em celulares, computadores, câmeras não profissionais, Ipods, Iphones etc. A disponibilidade de sites que veiculam vídeos e programas gratuitos para edição são também fundamentais neste novo panorama de modificações.
Acompanhando o crescimento quantitativo de novas possibilidades e produções, encontramos uma melhora qualitativa, inclusive na Amazônia, mais especificamente em Belém do Pará, com diversas iniciativas como cursos, prêmios e festivais, como o recém-criado Festival Universitário de Criação Audiovisual (Fusca), promovido pela Estácio FAP e o já consolidado Festival Osga de Vídeos Universitários, que teve sua 6ª edição realizada no fim de maio e vem incentivando a produção audiovisual de alunos de cursos de graduação de Comunicação e Cinema de Belém do Pará.

Um circuito de audiovisual parece cada vez mais se fortalecer em Belém, e tem como ponto de partida experimentações em produções que iniciam pequenas, “de bolso”, se aproveitando do panorama citado acima.
Atenta a estas questões, a Comissão Organizadora do Culturas, Linguagens e Interfaces Contemporâneas – CLIC 2012 convida a todos para a mesa “Novas possibilidades no audiovisual em Belém do Pará”, que será realizada no Cinema Olympia, no dia 15 de junho de 2012, às 15h.

CONVIDADOS

No próximo Pré CLIC contaremos com a participação de Renato Nogueira, graduado em Comunicação Social pela Universidade da Amazônia e especialista pelo Centro de Pós Graduação. Atualmente, Renato é professor da Universidade da Amazônia e da Escola Superior da Amazônia e organizador do Festival Osga de Vídeos Universitários.
A outra convidada para esta mesa é Joice Santos, bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade Federal do Pará, especialista em Comunicação Cientifica e Tecnológica pela Universidade Metodista de São Paulo e mestra em Comunicação e Culturas Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente, Joice é membro da Diretoria da AssociaçãoBrasileira de Jornalismo Científico – ABJC e coordena o LabCom Móvel – Estudos e Práticas de Comunicação Pública da Ciência na Amazônia, projeto do Museu Paraense Emilio Goeldi (MPEG).

O projeto apresenta webséries, como a “Naturalistas do século XXI” gravadas com celulares, câmeras digitais, notebook, tablet e mp4s, mostrando que, por um baixo custo e conhecimentos “básicos” sobre produção e edição, é possível se utilizar aparatos tecnológicos comuns ao cotidiano e produzir conteúdo sobre ciência.
A mediação do último Pré CLIC deste semestre será feita por Thyago Pina, graduando em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) na Universidade da Amazônia e em Design na Universidade Estadual do Pará. Thyago atua na área de design gráfico e publicidade como profissional autônomo / freelancer há 3 anos.
Ótimos convidados e uma interessante discussão, não é mesmo? Quer mais motivos para participar do próximo Pré CLIC? Então fique atento! No dia 15 será divulgado oficialmente o cartaz do CLIC em Cena, que ocorrerá de 08 a 10 de agosto, também no Cinema Olympia e os nomes já confirmados da programação. Haverá ainda sorteios de brindes e de inscrições gratuitas para o evento. Participe!

SERVIÇO
4º Pré CLIC “Novas possibilidades no audiovisual em Belém do Pará”
Quando? 15 de junho de 2012, 15h
Onde? Cinema Olympia
Entrada franca com direito a certificado.

Fonte: Portal Clic