Inscrições abertas para o 3º Festival de Audiovisual de Belém

11251881_702666839866144_6499200347651937464_nProdutores, diretores e demais profissionais do cenário audiovisual podem inscrever obras na terceira edição do Festival de Audiovisual de Belém (FAB), que será realizado entre os dias 29 de outubro e 01 de novembro, no Cinema Olympia. Este ano, o festival apresenta apenas mostras não competitivas, organizadas em sete categorias. São elas: “Curta Metragem”; “Videoclipe”; “Propaganda Publicitária Audiovisual”; “Videoarte”; “Vídeo-minuto”, “Vídeos de bolso” e “Crítica de Audiovisual Brasileiro”.
Apesar de não ser competitivo, o FAB pretende incentivar o crescimento audiovisual não apenas em Belém, mas em todo o Brasil”, explica o idealizador do FAB, Enderson Oliveira. Tendo em vista as duas primeiras edições, Oliveira acredita que o evento está se consolidando e cumprindo com a proposta do sloganAudiovisual vai além. Audiovisual vem pra Belém”.
O público tem correspondido muito bem nos últimos anos, os produtores idem e esse retorno vai além de apenas querer ganhar um prêmio, mas sim, alcança a vontade de mostrar o trabalho, conhecer diversas obras, ver o que há de mais novo sendo produzido no país. Esse objetivo será sempre mantido, é uma das nossas grandes marcas”, complementa.Em dois anos, o FAB já recebeu aproximadamente 130 obras de 14 estados brasileiros,  e também coproduções de países como Cuba, EUA e França.
Como participar
As inscrições para o FAB 215 podem ser feitas tanto pela internet quanto pelo correio até o dia 11 de setembro. Informações como endereços e formato dos arquivos podem ser encontradas no regulamento do festival. Lembramos que as inscrições são gratuitas e que somente é permitida a participação de pessoas físicas.
Sobre o evento 
Criado em 2013, o Festival de Audiovisual de Belém – FAB é uma realização do CLIC – Empreendimento sociocultural especializado na promoção, organização e produção de cursos livres e eventos acadêmicos e culturais em Belém do Pará. Amplo e diversificado, o FAB procura incentivar a produção técnica e conceitual do audiovisual, e também colaborar com a inserção de Belém na geografia nacional da produção contemporânea. Como parte da programação, há também o Seminário de Audiovisual de Belém, encontro gratuito que apresentará discussões sobre diversos temas ligados à produção audiovisual, que também serve como ponto de encontro para que o público e produtores possam dialogar e trocar experiências.
Fonte: FAB

Premiados no Primeiro Festival de Audiovisual de Belém

O cinema e o audiovisual paraense estavam sem um festival com a descontinuidade de vários projetos como o Amazônia DOC, Festival de Belém do Cinema Brasileiro, Curta Pará Cine Brasil, restando apenas o OSGA da UNAMA que tem nível local e direcionado para a segmento universitário. Os cineclubes e as mostras estavam cumprindo a missão, com muita eficiência e participação social, de difusão de filmes e debates sobre o setor. Com a idealização e realização do FAB, contemplado já na primeira edição pelo edital do Banco da Amazônia o que é bem inusitado mostrando força de projeto, equipe e planejamento, a equipe dá um passo firme para a continuidade, pelo caráter nacional do festival, contribuindo com o intercâmbio de realizadores e o fomento da produção. Um ponto positivo foi o festival optar por muitas categorias e incluir a crítica cinematográfica, algo inédito e fundamental para a discussão do cinema. A crítica de cinema talvez tenha sido a grande proposta do festival que trouxe o crítico Sérgio Rizzo para uma pequena conferência durante o evento, grande iniciativa. Que venham outros FAB, e que vá além. [Ramiro Quaresma]

 

1176140_369109676555197_1102902132_nA primeira edição do Festival de Audiovisual de Belém – FAB chegou ao fim e já deixou saudades e a expectativa de um festival melhor ainda em 2014.

Contemplado no Edital de Patrocínio do Banco da Amazônia 2013, o FAB levou um público de mais de 600 pessoas em quatro dias de programação noCinema Olympia. Nos dias de Mostras Competitivas, mais de 150 pessoas estiveram presentes em cada sessão. O FAB ainda contou com um grande público no Seminário de Audiovisual de Belém, para discutir e aprender um pouco mais sobre as diversas interfaces da produção audiovisual, indo além do cinema.

Os principais vencedores foram o curta paraense Espátula e Bisturi e o videoclipe de Campinas O que você quer escutar?, de Gu Siqueira e Offbeat, eleitos pelo júri técnico do Festival. Os vencedores do júri popular foram o curtaLinear, de São Paulo, e o videoclipe Verão na VR, do grupo Sistema Negro, também de Campinas.

Confira a lista completa dos premiados e homenageados nas diversas categorias do evento:
∎ MENÇÕES HONROSAS
* Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’ – Menção honrosa pela Edição
* Gigantes da alegria – Documentário, Rio de Janeiro, 12’02’’ – Menção Honrosa pelo Valor Social
* Curtinha dos Pés, Pará, 1′ – Menção honrosa pela Videoarte
* Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’ – Menção honrosa pelo Valor Histórico e Pesquisa
* Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’ – Menção honrosa pelo Valor Técnico e Menção Honrosa pelo Roteiro
*Estação Bahia – Documentário/Experimental, Brasil/Cuba, 14’ – Menção honrosa pela Produção
* Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’ – Menção Honrosa pela Fotografia

VIDEOCLIPES

– Melhor Videoclipe – Júri Técnico
*Vencedor: O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Finalistas:
Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat,Campinas, São Paulo, 3’40’’
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

– Melhor Videoclipe – Júri Popular
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

– Melhor Direção
* Vencedor: Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
Finalistas:
Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

– Melhor Edição
* Vencedor: O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Finalistas:
Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

– Melhor Produção
* Vencedor: O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Finalistas:
Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Time is Money – D’NAIPES, São Paulo, 4’33’’

– Melhor Roteiro
* Vencedor: Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’
Finalistas:
Forasteira – Robson Farah, Rio de Janeiro, 4’55’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

– Melhor Fotografia
* Vencedor: Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Finalistas:
Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’

∎ CURTAS METRAGENS

espatula e bisturi– Melhor Curta Metragem – Júri Técnico
* Vencedor: Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’ 
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

– Melhor Curta metragem – Júri Popular
* Vencedor: Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’

– Melhor Direção
* Vencedor: Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

– Melhor Edição
* Vencedor: Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

– Melhor Produção
* Vencedor: Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Finalistas:
A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Estação Bahia – Documentário/Experimental, Brasil/Cuba, 14’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’

– Melhor Fotografia
* Vencedor: Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18′
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Espelho e Silêncio – Experimental, Pará, 9’37’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

– Melhor Roteiro
* Vencedor: Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

– Melhor Atriz
* Vencedora: Nora Seiwerth (Non Plus – Ficção, Brasil/ França, 7’)
Finalistas:
Ester Auricchio (Reencontro – Ficção, São Paulo, 18’06)
Laís Ribeiro (Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’)
Lorena da Silva (Quebra de contrato – Ficção, Rio de Janeiro, 20’)
Nora Seiwerth (Non Plus – Ficção, Brasil/ França, 7’)
Sandra Corveloni (A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’)

– Melhor Ator
* Vencedor: Abrahão Farc (A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’)
Finalistas:
Abrahão Farc (A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’)
Gésio Amadeu (O anônimo – Ficção, São Paulo, 6’45’’)
Epitáfio – Khlaed Chedid (Epitáfio – Ficção, Pará, 8’28’’)
André Filho (Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’)

– Melhor Direção de Arte
* Vencedor: A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’
Finalistas:
A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’

– Melhor Trilha Sonora
*Vencedor: Estação Bahia – Documentário/Experimental, Brasil/Cuba, 14’
Finalistas:
Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
Estação Bahia – Documentário/Experimental, Brasil/Cuba, 14’
Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’

∎ MELHOR CRÍTICA DE CINEMA PARAENSE:

* Vencedora: “De boas intenções…” (sobre o filme “Belém aos 80”, 2007). Autor: Dário Façanha Neto;
Finalistas:
“De boas intenções…” (sobre o filme “Belém aos 80”, 2007). Autor: Dário Façanha Neto;
– “O verde do jambeiro” (sobre o filme Juliana contra o Jambeiro do Diabo pelo Coração de João Batista, 2012). Autora: Aline Figueiredo de Albuquerque.

∎ MELHOR CAMPANHA PUBLICITÁRIA – JÚRI TÉCNICO E JÚRI POPULAR

*Vencedora: Dia dos Namorados Richards, 2013, Rio de Janeiro, 1’15”
Finalistas:
Dia dos Namorados Richards, 2013, Rio de Janeiro, 1’15”
Livro Interativo sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta – ILFP, 2012, Pará, 0’35”

Por Enderson Oliveira

Fotos de Everton Pereira

Festival de Audiovisual de Belém – Cine Olympia de 17 a 20 de Setembro/2013

1157479_511116955647222_2086617157_n

A produção audiovisual da Amazônia, especialmente de Belém do Pará, vive um período privilegiado. Prêmios e exibições nacionais e internacionais, cineclubes, associações de críticos, cinemas que exibem programação alternativa e mesmo cinemas comerciais apresentando as novidades na produção audiovisual mundial, cursos livres promovidos por associações e produtoras ajudam a compor o cenário atual de audiovisual na cidade. Merecem destaque também o recém-criado curso de Graduação em Cinema a Audiovisual, da Universidade Federal do Pará e eventos acadêmicos relacionados à produção da cidade, como o “Seminário 100 anos do Cinema Olympia” e o “CLIC em Cena”.

Apesar deste panorama, Belém ainda precisa de mais iniciativas que colaborem para um maior fortalecimento e desenvolvimento da produção audiovisual. Daí (s)urgiu a necessidade de criar o Festival de Audiovisual de Belém, com o objetivo de incentivar a produção técnica e conceitual dos interessados em tal área não somente da cidade como da região. Além disso, o evento busca criar um ponto de encontro em que público e produtores de audiovisual, não somente da região, mas do Brasil e de outros países, possam dialogar e trocar experiências.
Em sua primeira edição, o Festival contará com Mostras Competitivas nas categorias “Curtas Metragens”“Videoclipes”“Campanha Publicitária Audiovisual” e “Produção de conteúdo para TV e internet” e Mostras Não Competitivas de Videoarte e de Livroclipes. Inovador, ainda premiará aMelhor Crítica de Cinema escrita sobre algum curta metragem ou longa metragem paraense.

Amplo, diversificado e atento à importância da “marca” Amazônia, o evento objetiva se constituir em uma grande plataforma para a apresentação de novos talentos e, além disso, busca colaborar para inserir de vez Belém na geografia nacional da produção audiovisual contemporânea, o que está sintetizado no slogan do evento: Audiovisual vai além. Audiovisual vem pra Belém.

 

Confira a programação completa do FAB 2013:

 
∎ 17 DE SETEMBRO
• 19h – Mostra Não Competitiva de Vídeos de Bolso
– “Ruídos”, 1’21”
– “Olho de Cutia”, 1’14”
– “O lado oculto da floresta”, 1’01”
– “Pessoal, vem ver a preguiça”, 1’16”
 
• 19h10 – Abertura oficial do Festival de Audiovisual de Belém
 
• 19h40 – Exibição de Curtas Paraenses Convidados
– “Ervas e Saberes da Amazônia”, 23’, Zienhe Castro;
– “Muragens – Crônicas de um muro”, 12’11”, de Andrei Miralha;
– Lançamento do curta-metragem “Eu moro aqui – histórias dos povos das florestas do Norte do Brasil”, de Fernando Segtowick e Pedro Afonso.
 
• 20h30 – Coquetel
 
∎ 18 DE SETEMBRO
• 15h – Seminário de Audiovisual de Belém (“Os desafios das Campanhas Publicitárias Audiovisuais”), com Ronaldo Salame, Luis Aravena Iturriaga (SB Virtual), Renato Malcher (Cesupa)
 
• 16h30 – Mostra Competitiva de Campanhas Publicitárias
– Dia dos Namorados Richards, 2013, Rio de Janeiro, 1’15”
– Livro Interativo sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta – ILFP, 2012, Pará, 0’35”
 
zoom-sergio-rizzo-(diretor-de-fotografia)-903• 16h45 – Seminário de Audiovisual de Belém – Palestra e bate-papo com Sérgio Rizzo (Folha de S. Paulo/ Academia Internacional de Cinema/ FAAP-SP) sobre Crítica Cinematográfica na Contemporaneidade.
 
• 17h45 – Comentários sobre críticas cinematográficas selecionadas para o Festival
– “De boas intenções…” (sobre o filme “Belém aos 80”, 2007). Autor: Dário Façanha Neto;
– “O verde do jambeiro” (sobre o filme Juliana contra o Jambeiro do Diabo pelo Coração de João Batista, 2012). Autora: Aline Figueiredo de Albuquerque.
 
• 18h30h – Mostra de Videoclipes/ Votação do Público
– Memórias Mortas – Ut Opia, Pará, 3’29’’
– Time is Money – D’NAIPES, São Paulo, 4’33’’
– Abra os olhos – Kararoots, Sergipe, 4’26’’
– Passou e não me viu – Álibi de Orfeu, Pará, 5’09’’
– Forasteira – Robson Farah, Rio de Janeiro, 4’55’’
 
• 19h – Mostra de Curtas-Metragens/ Votação do Público
– Quebra de contrato – Ficção, Rio de Janeiro, 20’
– O anônimo – Ficção, São Paulo, 6’45’’
– Iara na terra do tecnobrega – Ficção, Pará, 5’30″
– Ópio – Ficção, Rio de Janeiro/Rio Grande do Sul, 13’16”
– Espelho e Silêncio – Experimental, Pará, 9’37’’
– Estação Bahia – Documentário/Experimental, Brasil/Cuba, 14’
– Tecnicolor – Pará, Ficção, 5’14’’
– Cancha – Antigamente era mais moderno – Documentário, Paraíba, 18’
– Epitáfio – Ficção, Pará, 8’28’’
download
 
∎ 19 DE SETEMBRO
• 15h – 16h30 – Seminário de Audiovisual de Belém (O ver e o viver através do Videomapping)
Roberta Carvalho, Enderson Oliveira (mediador)
 
• 16h45 – 18h15 – Seminário de Audiovisual de Belém – Cinema de animação e produção audiovisual contemporânea
Sérgio Rizzo (Folha de S. Paulo/ Academia Internacional de Cinema/ FAAP-SP), Andrei Miralha (Fundação Curro Velho), Ana Carolina Almeida (mediadora)
 
• 18h30 – Mostra de Videoclipes/ Votação do público
– O Bom – Banda Tipity, Pará, 5’32’’
– Obrigado Tempestade – Hateen, São Paulo, 5’36’’
– O que você quer escutar? – Gu Siqueira e Offbeat, Campinas, São Paulo, 3’40’’
– Verde Mar – Álibi de Orfeu, Pará, 4’20’’
– Verão na VR – Sistema Negro, Campinas, São Paulo, 6’26’’
 
• 19h – Mostra de Curtas- Metragens/ Votação do público
– Derredor – Ficção, Sergipe, 18’42
– Belém à vapor – Documentário, Pará, 5’
– Reencontro – Ficção, São Paulo, 18’06
– Non Plus – Ficção, Brasil/ França, 7’
– Cosp Tinta Crew – Arte, Cor e Luta – Pará, Documentário, 10’29’’
– A Grande Viagem – Ficção, São Paulo, 15’
 Gigantes da alegria – Documentário, Rio de Janeiro, 12’02’’
 Linear – Animação, São Paulo, 2012, 6’
 Espátula e Bisturi – Ficção, Pará, 7’30’’
 
∎ 20 DE SETEMBRO
• 15h – 16h30 – Seminário de Audiovisual de Belém (Chanchadas Pós Modernas?)
Marco Antônio Moreira (ACCPA/ Cinema Olympia), Paulo Dias (CLIC)
 
• 16h45 – Seminário de Audiovisual de Belém – Palestra e Bate-papo com Guilherme Bryan (Belas Artes/ Revista Rolling Stone/ B2 produções/ SP) sobre videoclipes e produção musical
 
• 18h15 – Mostra Não Competitiva de Videoarte
– Integração Lavoura-Pecuária-Floresta na Poesia da Amazônia, Pará, 4’25’’
– Spaghetti Eisenstein, Pará, 2’40’’
– Ondas curtas, São Paulo, 8’53’’
– Curtinha dos pés, Pará, 1’
 
• 19h – Premiações Mostras Competitivas de Curtas Metragens, Videoclipes, Campanhas Publicitárias e Crítica de Cinema.

Festival de Audiovisual de Belém // Seminário, Mostras e Premiações

EN5Ksg2

A produção audiovisual da Amazônia, especialmente de Belém do Pará, vive um período privilegiado. Prêmios e exibições nacionais e internacionais, cineclubes, associações de críticos, cinemas que exibem programação alternativa e mesmo cinemas comerciais apresentando as novidades na produção audiovisual mundial, cursos livres promovidos por associações e produtoras ajudam a compor o cenário atual de audiovisual na cidade. Merecem destaque também o recém-criado curso de Graduação em Cinema a Audiovisual, da Universidade Federal do Pará e eventos acadêmicos relacionados à produção da cidade, como o “Seminário 100 anos do Cinema Olympia” e o “CLIC em Cena”.

Apesar deste panorama, Belém ainda precisa de mais iniciativas que colaborem para um maior fortalecimento e desenvolvimento da produção audiovisual. Daí (s)urgiu a necessidade de criar o Festival de Audiovisual de Belém, com o objetivo de incentivar a produção técnica e conceitual dos interessados em tal área não somente da cidade como da região. Além disso, o evento busca criar um ponto de encontro em que público e produtores de audiovisual, não somente da região, mas do Brasil e de outros países, possam dialogar e trocar experiências.
Em sua primeira edição, o Festival contará com Mostras Competitivas nas categorias “Curtas Metragens”“Videoclipes”“Campanha Publicitária Audiovisual” e “Produção de conteúdo para TV e internet” e Mostras Não Competitivas de Videoarte e de Livroclipes. Inovador, ainda premiará a Melhor Crítica de Cinema escrita sobre algum curta metragem ou longa metragem paraense.

Amplo, diversificado e atento à importância da “marca” Amazônia, o evento objetiva se constituir em uma grande plataforma para a apresentação de novos talentos e, além disso, busca colaborar para inserir de vez Belém na geografia nacional da produção audiovisual contemporânea, o que está sintetizado no slogan do evento: Audiovisual vai além. Audiovisual vem pra Belém.

∎ Regulamento Geral

Disponível em Regulamento Geral

∎ Mostras Competitivas

Ficha de Inscrição de Videoclipes

Ficha de Inscrição de Campanhas Publicitárias

Ficha de Inscrição de Curtas

Ficha de Inscrição Conteúdo TV e Internet

Termo de Responsabilidade e Autorização Vídeos

Documentos que devem ser entregues – vídeos

∎ Mostras Não Competitivas
 
 
 
∎ Prêmio de Crítica de Cinema