MOSTRA MARCIO BARRADAS: UMA DÉCADA DE CINEMA INDEPENDENTE

Mostra Barradas OK

No dia 29 de setembro deste mês, no Teatro Cláudio Barradas, acontecerá a “Mostra Márcio Barradas: uma década de cinema independente”, que apresentará parte significativa da trajetória do cineasta. É a oportunidade de desmistificar a ideia de que não se produz cinema por estas bandas e aprender um pouco como a Mairí Produções realizou 9 sonhos a partir de seu próprio esforço.
Tudo começou em 2005, com “Coração roxo”. Desde seu primeiro manifesto experimental, o autor nos apresenta um cinema que busca, com generosidade e firmeza, tanto a descoberta genuína da forma de cada filme a partir de seu contexto de produção (e nesse percurso, o encontro do estilo) quanto a afirmação da gravidade de se posicionar politicamente (a partir dos temas, argumentos e vozes que se escolhe registrar). Como é natural no Brasil desde Humberto Mauro, Márcio Barradas é mais um desses cineastas entre a ficção e o documentário. Em qualquer dos gêneros encontra o outro: na ficção traz o contexto, no documentário encara a fantasia. Da ilha do Mosqueiro – a ilha-mãe da Belém Insular – fez retratos únicos através de diferentes processos de captura e revelação. “O Mastro de São Caralho”, por exemplo, é destes “docs câmera na mão” a perambular pela manifestação, registrando o calor do momento e os grandes discursos de notáveis sátiros da margem suburbana. “A poeta da praia” já é ficção sob a luz da lua, gestada no estômago magoado de uma andarilha das praias, que será perseguida pela intolerância e pela violência, arcanos da crueldade, que também estão presentes na adaptação de Schultheiss/Bukowski em “Os comparsas”. Se cada um vai por um furo todos chegam à Mosqueiro.
“O cinema são todos os caminhos”, dizia Glauber Rocha, e se Márcio Barradas é, por excelência, a figura do cineasta insulado, inundado de água por todos os lados, a potência de sua obra se erige profunda sob estas condições. No próximo dia 29 nos é dada a oportunidade deste panorama, ouvir o eco deste cinema, que atravessa a baía trazendo seus fantasmas. Além da presença do autor, a grande surpresa da programação será a estreia de sua nova obra “Tony, o poeta de Icoaraci”, documentário intimista, recorte de poesia e política em justaposição e conflito, bem ao estilo “montagem de atrações” já caro ao autor em outras obras.


Com o objetivo de discutir as confluências entre cinema, arte e tecnologia e as artes cênicas o Projeto de extensão Cineclube ETDUFPA é coordenado pelo professor Ramiro Quaresma, com a colaboração dos professores Paulo de Tarso e Jorge Torres, e dos bolsistas Elise Vasconcelos, Mateus Moura e Cléber Cajun, em uma realização da Escola de Teatro e Dança, Teatro Universitário Cláudio Barradas, Instituto de Ciências da Arte e UFPA, com apoio da Cinemateca Paraense e Associação Paraense dos Jovens Críticos de Cinema. O evento é uma atividade de greve.

Mostra Barradas
Programação:
Curadoria : Mateus Moura

Coração roxo. 2005. 8 min.
O mastro. Doc. 23 min.
A poeta da praia. Ficção 2008. 28 min.
Os comparsas. Ficção. 2011. 16 min.
Tony, poeta de Icoaraci. Doc. 2015. 28 min.

SERVIÇO:
“Mostra Márcio Barradas: uma década de cinema independente”
Data: 29 de Setembro de 2015 Hora: 18h
Entrada franca
Local: Teatro Universitário Cláudio Barradas, localizado na Rua Jerônimo Pimentel, 546 (esquina com D. Romualdo de Seixas) no bairro Umarizal, em Belém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s