Amazônia Doc.3 – Festival Pan-Amazônico de Cinema

Sustentar copas fartas, levar a seiva, alimentar folhas, flores e frutos, dar vida. O caule, em sua complexidade, é que mantém de pé a árvore.

Depois de envolver quase oito mil pessoas entre exibições e atividades de formação em 2010, o Amazônia Doc – Festival Pan-Amazônico de Cinema chega à sua terceira edição, apostando na Pan-Amazônia como território de permanente arborescência da produção audiovisual.

Diversidade que se traduz em solo fértil, rico. O Amazônia Doc se estabelece como um evento único no Brasil com foco na produção do cinema documentário na Pan-Amazônia, importante espaço de difusão e reflexão do cinema produzido no Brasil, Venezuela, Peru, Equador, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa e Suriname.

Sem abrir mão da diversidade de formatos e com um leque extenso de seminários e mostras, o Amazônia Doc traz sete dias de programação inteiramente gratuita, voltada a todos os públicos. Será uma semana de Mostras Competitivas, Mostras Paralelas, Conferências, Debates e Oficinas.

O festival contempla a exibição e premiação dos gêneros documentário e ficção produzidos nas diversas Amazônias, aprofundando as questões sociopolíticas e de fomento relativas ao audiovisual.

Na Mostra Competitiva, os melhores filmes de curta, média e longa-metragens nacionais e internacionais disputarão os prêmios de Melhor Longa e Melhor Curta Documentário e Melhor Longa e Melhor Curta de Ficção, Melhor Direção, Melhor Roteiro e Melhor Filme, eleito pelo voto popular.

Paralelamente, acontece a Mostra Pan-Amazônica de Cinema e o 3º Seminário Pan-Amazônico de Documentários, organizados com a colaboração da documentarista Cláudia Mesquita. Serão exibidos curtas, médias e longas-metragens do gênero documentário e ficção, nacionais e internacionais. A programação prevê duas oficinas gratuitas de cinema para os participantes do festival: Roteiro e Direção para documentários.

Em uma região onde as condições geográficas e sociais dificultam sobremaneira o acesso da população às produções audiovisuais, o Amazônia Doc – Festival Pan- Amazônico de Cinema vem instigar a reflexão e o debate sobre fomento, difusão e produção audiovisual em um grande intercâmbio cultural realizado pelo Instituto Culta da Amazônia e produzido pela ZProduções Cinematográficas, com o patrocínio da Oi por meio Governo do Estado do Pará através da Lei Semear e apoio cultural da Oi Futuro e da Ecleteca Cultural.

Equipe

Direção Geral / Produção Executiva:
Zienhe Castro

Organização: 
Felipe Pamplona – Coordenador de Programação
Marco Moreira – Coordenador Comitê de Pré-seleção
Moana Mendes – Coordenadora de Produção
Danielle Filgueiras – Produtora
Adriana Simões – Assistente de Produção
Flávia Souza – Assistente de Produção
Wendell Aguiar – Assistente de Produção
Amanda Aguiar – Coordenadora de Comunicação
Cíntia Magno – Assessora de Imprensa
Leonardo Fernandes – Assessor de Imprensa
Lorenna Montenegro – Assessora de Imprensa
Daniela Vianna – Tradutora
Rennan Rosa – Coordenador Gráfico
Josi Mendes – Designer Gráfico
Ronaldo Guedes – Designer de Troféu
Gotazkaen – Identidade Visual
Nicole Marinho – Assessora de Website

Comitê de Pré-Seleção: 
Marco Moreira – Presidente
Arnaldo Prado Jr.
Dedé Mesquita
Felipe Pamplona
Luzia Miranda Alvarez
Pedro Veriano
Zienhe Castro

 

Programação

SÁBADO, 5/11

Sessão de abertura
Cine Olympia – 19h30

Um Outro Ensaio
(Natara Ney, Brasil, 2010, Ficção, 15′)

Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios
(Beto Brant, Renato Ciasca, Brasil, 2011, Ficção, 100′)

DOMINGO, 6/11

Sessão Especial
Cine Olympia – 17h

Uma Longa Viagem
(Lúcia Murat, Brasil, 2011, Ficção, 97′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Cine Câmelo (Clarissa Knoll, Brasil, 2011, Doc, 15′)
Kinopoéticas – Katari Kamina (Pedro Dantas, 2011, Doc, 15′)
Crônicas de uma Morte Anunciada (Ivan Canabrava, Brasil, 2011, Doc, 06′)
A Dança do Tempo (Christian Spencer, Brasil, 2011, Doc, 23′)

Longa:
Morada (Joana Oliveira, Brasil, 2010, Doc, 78′)

SEGUNDA, 7/11

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Ribeirinhos do Asfalto (Jorane Castro, 2011, Ficção, 25′)
Soldados da Borracha (Cesar Lima, Brasil, 2010, Doc, 27′)

Longa:
Terra da Lua Partida (Marcos Negrão, Brasil, 2010, Doc, 52′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

Chico Mendes – eu quero viver (40′, 1989)
Montanhas de Ouro (52′, 1990)

TERÇA, 8/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos ( Camilo Cavalcante, Brasil, 2010, Doc, 12′)
Crônica del Racismo (Verónica Córdova, Bolívia, 2009, Doc, 35′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Na Canoa para Aprender (Bruno Assis e Dani Franco, Brasil, doc, 5′)
O mundo de Célia (Bruno Assis, Ronaldo Rosa e Sissa Aneleh, Brasil, doc, 6′)
Toda Qualidade de Bicho (Angela Gomes e Cézar Moraes, Brasil, doc, 10′)
Barcos de Odivela (Angela Gomes e Cézar Moraes, Brasil, doc, 14′)
Sem Fastio (Roger Elarrat e Juliana Machado, Brasil, doc, 40′)
À Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas (Damiá Puig, Brasil, doc, 90′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Oysuaminasai (Leandro Tadashi, Brasil, 2011, Ficção, 6′)

Longa:
De Ollas y Sueños (Ernesto Cabellos, Peru/Brasil, 2009, Doc, 74′)

http://www.dailymotion.com/embed/video/xa7p8g
De ollas y sueños – cooking up dreams – documental por la_shivi

Para Vestir Santos (Rosana Matecki, Venezuela, 2011, Doc, 52′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

Na Trilha dos Uru Eu Wau Wau (52′, 1990)
Nas Cinzas da Floresta (52′, 1990)

QUARTA, 09/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Da Janela do Meu Quarto ( Cao Guimarães, Brasil, 2004, Ficção, 5′)
Babás ( Consuelo Lins, Brasil, 2009, Doc, 110′)
A Falta que me Faz (Marília Rocha, Brasil, 2009, Doc, 85′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Gente que Brilha (Ivan Oliveira e Edinan Costa, Brasil, doc, 40′)
Carnasat (Wirley Silva, Brasil, doc, 25′)
Amor Veneris ou Um Colar de Brilhantes para Uma Pobre Donzela (Isabela do Lago, Vanessa Hassegawa e Arthur Leandro, Brasil, ficção, 3′)
Curtas do I Salão Xumucuís de Arte Digital (Coletivo, Brasil, doc, 3′)
Táxi Zero Hora (Silvio Sá, Brasil, ficção)
Apeú – Em canto, em conto (Ronildo Carvalho, Brasil, doc)
Os Comparsas (Marcio Barradas, Brasil, ficção)
Kronos (Rodolfo Mendonça, Brasil, ficção, 2′)
Xandu (Renata do Rosário Lira e Arthur Leandro, Brasil, doc, 10′)
Verônica Não Deita (Coletivo, Brasil, ficção, 7′)

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Saltos Amazônicos (Liana Amin, Igor Amin, Brasil, 2011, Doc, 8′)
A Fábrica (Aly Muritiba, Brasil, 2011,Ficção, 15′)
7 Voltas (Rogério Nunes, Brasil, 2009, Doc, 20′)
Matinta (Fernando Segtowick, Brasil, 2010, Ficção, 20′)

Longa:
Leite e Ferro (Claudia Priscilla, Brasil, 2010, Doc, 72′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

O Destino dos Uru Eu Wau Wau (52′, 1999)

QUINTA, 10/11

Mostra Pan-amazônica
Cine Olympia
17h

Juku (Mauricio Quiroga, Bolívia/Argentina, 2011, Doc, 18′)
Nochebuena (Camila Loboguerrero, Colômbia, 2008, ficção, 84′)

Mostra Bruno Assis de jovens Realizadores
Sesc Boulevard
17h

Mostra Cabocão – 2h
60 curtas de 1′ e 30 curtas de 4′, entre documentários e ficções, resultantes de oficinas de audiovisual realizadas no estado do Amazonas.
Organização: Júnior Rodrigues

Mostra Competitiva
Cine Olympia
19h

Curtas:
Sucumbios, Terra sem Mal (Arturo Hortas, Espanha, 2011, Doc, 30′)
Longa:
Sem ti Contigo (Tuki Jencquel, Venezuela, 2010, Doc, 43′)
Trópico da Saudade (Marcelo Flores, Brasil, 2009, Doc, 72′)

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
19h

A Tribo que se esconde do homem (66′, 1967-69)
Uma Dádiva para a Floresta (25′, 2000)

SEXTA, 11/11

Mostra Tributo a Adrian Cowell
Cine Líbero Luxardo
17h

As Queimadas da Amazônia (45′, 2002)
Barrados e Condenados (25′, 2000)
Batida na Floresta (59′, 2004-5)
O Sonho do Chico (25′,2003)

Sessão de encerramento
Cine Olympia
19h

Qual Queijo Você Quer?
(Cíntia Domit Bittar, Brasil, 2011, Ficção, 11’15”)

As Hiper Mulheres
(Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro, Brasil, 2011, Doc, 80′)

Atividades Paralelas
Oficinas

Cinema Fora do Eixo – Como fazer?
Instrutor: Cíntia Domit Bittar
Local: Colégio Ideal
Período: 07 a 11/11
Horário: 9h às 13h

Dispositivos Móveis na Era do Cinema Digital
Instrutor: Gilberto Mendonça
Local: Colégio Ideal
Período: 07 a 11/11
Horário: 9h às 13h

Workshop

Psicanálise e Cinema
Instrutor: Manoel Leite
Local: Colégio Ideal
Período: 16 a 19/11
Horário: 19h às 22h

Seminário

Um Cinema Feminino?
Mais do que exibição de filmes, o Amazônia Doc. inclui em sua programação atividades práticas e reflexivas, contribuindo para a democratização do acesso às técnicas de diferentes áreas do cinema e também estimulando o debate e a formação crítica. Neste bojo, estão oficinas, sessões comentadas e ações educativas, além do seminário “A Mulher e o Cinema”. Sob a direção da cineasta Zienhe Castro, fundadora do Amazônia Doc, e coordenação da pesquisadora e documentarista Claudia Mesquita, o seminário trará a Belém realizadoras de vários países da Pan-Amazônia, com a intenção de discutir a evidente maior presença de cineastas mulheres na contemporaneidade e as novas abordagens e temáticas decorrentes deste cenário.

A programação será realizada em abril. Serão quatro dias de encontros no Cinema Olympia, como parte das comemorações pelo seu centenário.

Oficinas

Oficina Dispositivos móveis na era do cinema digital
Período: 7 a 11/11 (9 às 12h)

Ministrante: Gilberto Mendonça (PA)
Local: Colégio Ideal

Através de uma discussão teórica e prática, a oficina propõe fazer reflexões acerca dos processos e possibilidades estéticas e poéticas do uso de dispositivos móveis de produção audiovisual. Mergulhando nos princípios da linguagem cinematográfica a oficina terá discussões também sobre os meios de produção através de câmeras digitais e celulares e as novas transformações tecnológicas e culturais ocorridas com o surgimento do cinema digital. O curso é voltado para pessoas com mais de 13 anos, com ou sem experiência.

Minibiografia:
Produtor independente, Gilberto Mendonça é Sociólogo, Arte Educador e realizador desde 2005. Colaborador do Programa de Pesquisa e Extensão Universitária: “Entre Memórias – A Constituição Cotidiana da Mitopoética em Colares no Imaginário Infantil”, da Universidade Federal do Pará, Desenvolvendo trabalhos de pesquisa audiovisual e etnográfica relacionados à memória e narrativas orais na Amazônia. Participou e dirigiu diversos curtas e atualmente ministra oficinas relacionadas à produção audiovisual em novos suportes tecnológicos e sua estética no cinema digital.

Vagas: 50 alunos

Oficina: Cinema fora do eixo – como fazer?
Período: 7 a 11/11 (9 às 12h)

Ministrante: Cíntia Bittar (SC)
Local: Colégio Ideal

Um recorte sobre como fazer cinema estando fora do chamado eixo cultural brasileiro, com foco nos problemas e soluções a partir do olhar do roteirista, do diretor e do produtor, configurando um estudo sobre os aspectos técnicos e criativos de um projeto.

Curso direcionado a profissionais do cinema independente e interessados na área que possuam conhecimento mínimo básico dos processos produtivos, técnicos e criativos.

Minibiografia:
Formada em Cinema e Vídeo pela UNISUL (Universidade do Sul de Santa Catarina), Cíntia entrou para o mercado audiovisual como montadora, reunindo em sua filmografia diversos gêneros e formatos. Em Florianópolis, abriu a produtora Novelo Filmes (2010), que estreia no mercado com o curta Qual Queijo Você Quer? Seu primeiro trabalho profissional enquanto diretora e roteirista, que hoje percorre os principais festivais do país.

Vagas: 50 alunos

Workshop Psicanálise e Cinema
Período: 16 a 19/11 (19 as 22 h)

Ministrante: Manoel Leite (PA)
Local: Colégio Ideal

O Cinema e a Psicanálise tiveram seu nascimento praticamente ao mesmo tempo. Em 1895, enquanto os irmãos Auguste e Louis Lumière faziam a primeira projeção cinematográfica da história, Freud dedicava-se a seus primeiros escritos psicanalíticos. Desde então, Cinema e Psicanálise seguiram seu caminhos com conceitos e experiências muito próximos, e mostrar essa relação é um dos focos do curso.

Num primeiro momento, serão apresentados alguns conceitos da psicanálise que mais se relacionam com o Cinema, como a teoria dos sonhos, os conceitos de inconsciente e de fantasia, que serão apresentados articulados com as teorias de cinema. Posteriormente, sempre através de trechos de filmes, serão articuladas as experiências da Psicanálise com as do realizador. Em seguida, será abordada a obra cinematográfica em si e a riqueza do seu conteúdo, evitando o equívoco de pretender interpretar o filme para revelar sua “verdadeira essência”, mas utilizando das “ferramentas” da psicanálise para produzir novos recortes e novas interpretações, enriquecendo com isso a leitura do filme e a experiência de assistí-lo.

Minibiografia:
Formado em Engenharia Aeronáutica pelo ITA em 1988, enveredou pela Psicanálise logo a seguir, ao mesmo tempo que fazia cursos de Cinema e Filosofia na PUC-RJ. Tornou-se membro da Escola Lacaniana de Psicanálise, onde coordenou grupo de pesquisa em Psicanálise e Cinema. Clinica desde 1996, inicialmente no Rio de Janeiro e posteriormente em Belém. Atualmente é membro das Formações Clínicas do Campo Lacaniano (RJ) e Mestre em Psicanálise pela UERJ.

Vagas: 50 alunos

BAIXE AQUI A FICHA DE INSCRIÇÃO

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s